menu
close_24px

Associação Refúgio usa dados do Bússola para fortalecer diversidade e protagonismo de adolescentes

Associação Refúgio utiliza o sistema Bússola para profissionalizar ainda mais a gestão e os resultados das ações voltadas à convivência e fortalecimento de vínculos


Crédito: https://refugio.org.br/

A Associação Refúgio, fundada por Marcio Carvalho, é destaque nacional no Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV). Nasceu como um abrigo para pessoas em situação de rua, mas transformou sua vocação para atuar no que Marcio identificou como causa raiz dos problemas da comunidade. Ao longo dos últimos 22 anos, atendeu mais de 3 mil crianças e adolescentes, beneficiando indiretamente 20 mil pessoas.

O impacto desse trabalho social, realizado no município de Cambé – região metropolitana de Londrina (PR), é reconhecido por premiações e programas importantes nacionalmente. Em 2018 foi contemplada pelo Criança Esperança/Unesco. Recebeu o prêmio Itaú/Unicef duas vezes, em 2018 e em 2021. No ano passado também foi uma das 20 selecionadas, entre mais de mil organizações, no edital Nossas Crianças, da Fundação Abrinq.

Como o Bússola ajudou a fortalecer a consciência racial na Associação Refúgio

A facilidade para acessar dados e estatísticas no sistema Bússola tem ajudado a equipe da ONG Refúgio a promover a diversidade e o protagonismo entre as crianças e adolescentes atendidos. Foi observando os dados que se percebeu a necessidade de falar sobre negritude, identidade e cultura afro.

“Quando o Itaú nos pediu informações sobre a raça, recolhemos os dados e percebemos que nossas crianças e adolescentes não se autodeclaravam negros”, revela Marcio.

Como um dos objetivos da OSC é trabalhar a autoestima para gerar protagonismo, a equipe gestora percebeu uma lacuna que precisava ser desenvolvida.

Na mesma época, a Refúgio foi selecionada pela Fundação Abrinq para desenvolver uma ação alusiva à Semana de Arte Moderna. Inspirados na obra Sagrado Coração de Jesus, da pintora Tarsila do Amaral, investiram o recurso em uma releitura da obra.

Nas paredes da associação hoje, o filho de Deus é representado como um homem negro, pintado em grafite por crianças e adolescentes. 

“O que mais me marcou foi elas falarem: ‘olha, agora eu pareço com Jesus, agora eu me identifico com Jesus’. E isso se deu a partir de uma coleta de dados. Então essa facilidade para ver os dados eu vejo como uma coisa muito importante”. (Marcio José Novais de Carvalho) – Presidente da Associação Refúgio

Diversidade de gênero no jiu-jitsu

jiu jitsu

Crédito: https://refugio.org.br/oficinas/jiu-jitsu-

Michelle Mansano, coordenadora social da Associação Refúgio, cita outros exemplos. “Agora com os dados, eu visualizo facilmente o perfil dos alunos por oficina. Quando vejo que não tem diversidade, entendo que talvez precise mudar a metodologia”, explica.

Foi assim que o público das oficinas de jiu-jítsu se transformou. Cerca de metade das crianças atendidas na OSC são meninas. No entanto, os meninos representavam 90% dessas turmas. Olhando os gráficos e vendo a diferença, Michelle não pensou duas vezes. Acionou os educadores e implementou estratégias para aumentar a presença das meninas. Hoje o jiu-jítsu é praticado pelo mesmo número de meninos e meninas.

“Vejo que muitas vezes as organizações se capacitam e geram os dados só para entregar para os outros. Mas eu também preciso dessas informações para saber aonde a gente está indo”, compartilha Michelle.

Apoiadores da Associação Refúgio recebem informação rápida e precisa

Para Michelle, o maior benefício que o sistema Bússola trouxe para a OSC é a facilidade do acesso às informações. A Associação Refúgio atende cerca de 250 crianças e se prepara para abrir outras 150 vagas.

Com um grande volume de dados para gerenciar, faz a diferença ter todas as informações centralizadas em um só ambiente digital.

“O apoiador quer facilidade também. Conseguir entrar no sistema e apresentar informações solicitadas em poucos minutos ajuda a garantir doações”, acredita Michelle.

Sentimento que é compartilhado pelo presidente da OSC. “Eu acredito que a coleta de dados mostra o profissionalismo da organização. Por isso que sempre dei muita importância”, afirma Marcio. 

Essa facilidade, explica Michelle, ajuda na participação em editais e prestação de contas. 

“Eu passo para o patrocinador: através da sua participação, conseguimos alcançar esses objetivos”.(Michelle Mansano) -Coordenadora social da Associação Refúgio

Proteção de dados sensíveis

Outra vantagem do sistema Bússola destacada pela coordenadora Michelle é a restrição do acesso de acordo com a atividade que cada profissional desempenha na OSC.

Assistentes sociais e psicólogos conseguem preservar informações confidenciais dos atendimentos. Educadores fazem o controle das presenças, atividades e ocorrências nas oficinas. E a coordenação pedagógica tem tudo na ponta do dedo.

“Antes, quando tinha discussão de caso com equipe de proteção, sempre era necessário marcar o atendimento específico da criança para levar toda documentação. Uma vez que o sistema é online, hoje levo meu computador somente”. (Michelle Mansano) -Coordenadora social da Associação Refúgio

Conheça a trajetória de profissionalização da Refúgio

Foi após recolher uma doação de verduras quase estragadas do chão de um supermercado que o Marcio de Carvalho compreendeu, categoricamente, a importância da profissionalização para captar recursos com dignidade.

Formalizar a pessoa jurídica da OSC foi apenas um primeiro passo no caminho ininterrupto de melhoria contínua. A memória de Márcio destaca, ainda, outros dois momentos marcantes nessa jornada: 

  1. Quando, seguindo o conselho de um especialista, ele e a coordenadora Michelle decidiram voltar para a universidade. Ambos, que eram graduados em Teologia, adicionaram novos diplomas ao currículo. Márcio se formou Bacharel em Gestão do Terceiro Setor e em Serviço Social; e Michelle em Psicologia.
  2. A implementação do sistema Bússola, em 2019. Na época, o objetivo era acabar com o uso de papel nas funções administrativas. Mas Márcio e Michelle descobriram que os benefícios de um sistema de gestão para os atendimentos da OSC podem ser ainda mais significativos. 

Hoje a Associação Refúgio é referência no país, sempre investindo em aperfeiçoamento profissional. Segundo Márcio, desde o início dessa jornada, eles nunca deixaram de implementar melhorias de um ano para outro. Para Michelle, a grande vantagem da profissionalização da gestão é permitir – com acesso à informação e otimização do tempo – que o trabalho realizado pela OSC seja cada vez mais humano.