menu
close_24px

Apoiar um projeto social: como realizar de forma segura 

Apoiar um projeto social com segurança e de forma assertiva é um dos maiores desafios de quem investe no terceiro setor. É comum que haja dúvidas sobre como escolher um projeto que desempenhe papel relevante na sociedade e que os recursos sejam empregados da maneira correta e de forma idônea.

Neste artigo você vai entender como se certificar de que o projeto escolhido é viável e ter garantias de que os recursos investidos serão empregados da forma correta.

Avaliando a documentação: como saber se a ONG é confiável

O primeiro passo para apoiar um projeto social e saber se a ONG é confiável é verificar se ela possui endereço físico, CNPJ e estatuto social. O estatuto social é um documento onde são definidos missão, objetivo e sede administrativa e é necessário para que a organização esteja em dia com suas regulações jurídicas.

Além do CNPJ devidamente cadastrado na receita federal, a organização deve possuir alvará de funcionamento e registro na Previdência Social da Caixa (FGTS) para os funcionários. Esse cadastro possibilita a OSC retirar certidões negativas de tributos trabalhistas, documento solicitado em doações, parcerias e financiamento público.

Como as ONGs são administradas por diversas pessoas, verifique quem é o responsável legal, tempo de vida e quem são os conselheiros, conselho fiscal e se possui estatuto. Conhecer quem está por trás de uma ideia, é tão importante quanto a finalidade e o objetivo da organização. Portanto, certifique-se de que as ações da ONG são divulgadas nos meios de comunicação e se existem políticos ou pessoas públicas envolvidas.

Principais aspectos para analisar e apoiar um projeto social com segurança

  • Financeiro: Procure saber se o departamento financeiro está bem estruturado, se as pessoas envolvidas possuem conhecimento técnico e se a organização faz uso de programas de controle financeiro ou de gestão. Um bom sistema de gestão financeira pode auxiliar e muito na execução do projeto. Dica extra: verifique se a OSC prestou contas dos últimos projetos publicamente.
  • Valores: Tenha em mente os valores que a sua empresa possui. Pense como esses valores podem ser transformados em critérios de avaliação, isso poderá nortear todo o processo seletivo. É bem importante a clareza do que a empresa busca ao apoiar projetos sociais e essas informações devem ser de conhecimento de todos que participam do processo.
  • Objetivo: Verifique se o projeto proposto tem objetivo a curto, médio e a plano a longo prazo. O objetivo principal do projeto, deve ser claro e deve impactar de maneira real na sociedade a qual se destina. Ele deve apresentar mudanças, e não somente ações que serão executadas ao longo do projeto.
  • Viabilidade: Verifique se o plano é realista e que possa ser implementado de forma sistemática e sem atropelos. Tempo e duração de cada ponto também devem ser avaliados de forma criteriosa. Cada passo deve estar interligado, mostrando o caminho percorrido para chegar aos objetivos do projeto.
  • Inovação: A criatividade é outro fator determinante para que o projeto tenha impacto na sociedade. Projetos com soluções criativas, são bem vistos pela comunidade e pela imprensa.
  • Transparência: Verifique sempre os meios de comunicação da OSCs: redes sociais, sites e notícias. Além dessas informações, busque referências das empresas parceiras, esse cuidado pode evitar uma dor de cabeça futura.
  • Impacto social: O projeto vai realmente causar um impacto positivo na comunidade, bairro ou local no qual a OSC vai aplicar estas ações?  Seja no campo da educação, meio ambiente, mobilidade ou saúde pública, o principal objetivo da organização é ser a diferença em locais muitas vezes esquecidos pelo poder público.

Impacto social: como ter certeza que será positivo e duradouro

Uma dica, antes de pensar em apoiar um projeto social é olhar para dentro de casa e entender quais os impactos sociais já estão sendo gerados pela empresa. Existem algumas metodologias para auxiliar nesse processo. 

Veja algumas delas abaixo:

Para descobrir se os objetivos do projeto vão gerar impacto social, são necessários estudos, que fornecem aos investidores resultados reais. Tais estudos podem ser Relatórios de Impacto de Investimento (IRIS), é uma metodologia que utiliza uma gama de definições de desempenho financeiro, social e ambiental. 

O Sistema de Avaliação do Investimento Global de Impacto (GIIRS), também utiliza uma metodologia aberta, podendo ser usada em conjunto com o IRIS. Os dados são oriundos da iniciativa privada e fundos de investimentos. Ele atua em 4 áreas: Governança, trabalhadores/ colaboradores, comunidade e meio ambiente. Um diferencial do GIIRS é que vários fundos, investidores privados, alimentam o sistema com informações, facilitando a consulta.

O Retorno Social do Investimento (SROI), se baseia no valor que será criado e posteriormente utilizado por uma organização. Em outras palavras, ele calcula o valor adquirido e não contabilizado em seus sistemas financeiros. O SROI não fornece dados específicos, sendo um sistema seguro, desde que operado de forma correta.

Criada por investidores portugueses, o Retorno Ecológico e Social de Investimento (RISI) é uma metodologia baseada em relatórios de sustentabilidade, chegando a um valor. Ele deve ser incluído em uma análise financeira mais ampla da empresa.

Como a Bússola Social ajuda sua empresa a apoiar um projeto social

A plataforma da Bússola Social permite que empresas investidoras e que querem apoiar um projeto social realizem o monitoramento contínuo com facilidade, organização, transparência e controle em todas as etapas desde o edital até a conclusão do projeto.

  • Publicação do edital: permite a criação de uma página pública com a para promover a divulgação do edital.
  • Inscrição de projetos: possibilita que a instituição proponente se cadastre na plataforma da Bússola Social, anexe os documentos necessários, elabore o projeto diretamente no sistema
  • Fluxo de seleção: receba e examine os projetos inscritos em um processo seletivo com etapas personalizadas.
  • Avaliação de projetos: avalie os projetos dando uma nota, fazendo um checklist ou um parecer único.
  • Divulgação de projetos selecionados: divulgue no mesmo link de seleção o número e lista de projetos que foram aprovados.
  • Acompanhamento: acompanhe os projetos e organizações que estão elaborando propostas e que já as enviaram para o Investidor. 
  • Mapa de projetos:  visualize projetos recebidos e selecionados por região, área de atuação, tamanho das organizações, entre outros. 
  • PDF: organize todas as informações inseridas pelas organizações no sistema em um PDF para impressão, distribuição ou anexação a contratos. 
  • Monitoramento: acompanhe todos os projetos apoiados através de informações como projetos em realização, ações planejadas, ações executadas, ações atrasadas, percentual de evolução, resultados esperados, desempenho, entre outras. 
  • Relatórios: gere relatórios contendo status do projeto, ações realizadas, relato da realização, fotos enviadas, entre outras. 
  • Prestação de contas: acesse valores previstos, repassados, executados de forma atualizada em todos os editais e projetos apoiados. 

Ficou interessado? Fale com a gente!