menu
close_24px

Quais métricas e indicadores para ONGs você deve monitorar 

Métricas para ONGs

Métricas e indicadores para ONGs são ferramentas fundamentais para monitorar os resultados dos projetos e o impacto gerado nas comunidades atendidas. Porém, muitos gestores ainda encontram dificuldades em realizar essa tarefa e não sabem por onde começar. 

Pensando nisso, elaboramos este artigo com exemplos de métricas e indicadores que sua ONG deve monitorar e dicas de como realizar a análise dos dados coletados. 

Qual a importância das métricas e indicadores para ONGs

As métricas e indicadores para ONGs desempenham um papel fundamental na gestão de uma organização, fornecendo insights valiosos sobre o desempenho, impacto e eficiência das atividades realizadas. Listamos algumas razões pelas quais esses dados são essenciais para o sucesso de uma organização:

  • Avaliação de impacto: As métricas e indicadores permitem que uma ONG avalie o impacto de suas ações na comunidade atendida. Ao medir o progresso em direção aos objetivos estabelecidos, a organização pode determinar se está alcançando resultados significativos e ajustar suas estratégias conforme necessário para maximizar o impacto positivo.

  • Tomada de decisão informada: Com dados concretos em mãos, os líderes de uma ONG podem tomar decisões informadas sobre alocação de recursos, desenvolvimento de programas e priorização de iniciativas. As métricas ajudam a identificar áreas de sucesso e oportunidades de melhoria, orientando a estratégia da organização de maneira mais eficaz.

  • Transparência e prestação de contas: O uso de métricas e indicadores promove transparência dentro da organização e perante os financiadores e parceiros. Ao demonstrar claramente os resultados alcançados e como os fundos são utilizados, uma ONG constrói confiança com seus stakeholders e fortalece sua reputação como uma organização responsável e eficiente.

  • Monitoramento de desempenho: As métricas permitem que uma ONG monitore continuamente seu desempenho ao longo do tempo. Isso não apenas ajuda a identificar tendências e padrões, mas também a detectar rapidamente problemas ou áreas de preocupação que exigem atenção imediata.

  • Captação de recursos: Métricas e indicadores sólidos podem aumentar a credibilidade de uma ONG junto a potenciais doadores, financiadores e parceiros. Ao apresentar dados concretos sobre o impacto de suas atividades, a organização pode atrair mais recursos e apoio para suas iniciativas.

Para entender melhor quais são os tipos de captação de recursos, leia este artigo. 

Qual a diferença entre métricas e indicadores

As métricas são medidas quantitativas que permitem avaliar o desempenho ou impacto de uma organização ou atividade. Elas incluem dados como o número de pessoas atendidas, a satisfação dos clientes e a sustentabilidade financeira.

Já os indicadores são medidas qualitativas que ajudam a avaliar o progresso ou sucesso de uma organização ou atividade em relação a objetivos específicos. Por exemplo, um indicador de sucesso para uma organização beneficente poderia ser o número de pessoas que saíram da situação de pobreza devido aos seus programas.

Métricas e indicadores para ONGs: quais monitorar

Gerir uma ONG requer mais do que apenas boas intenções – exige um compromisso em medir o impacto das suas ações e realizar a gestão dos projetos separadamente. Pensando nisso, listamos algumas métricas e indicadores para ONGs que sua organização deve monitorar para avaliar o desempenho e eficácia das ações realizadas:

Métricas:

  • Taxa de retenção de doadores: Esta métrica mede a proporção de doadores que continuam a apoiar financeiramente sua ONG ao longo do tempo. Uma alta taxa de retenção indica a eficácia das suas estratégias de retenção de doadores e o valor percebido pelos contribuintes.

  • Custo por beneficiário: Esta métrica avalia o custo médio de fornecer serviços ou benefícios a cada beneficiário da sua organização. Por exemplo, se sua ONG oferece aulas de alfabetização, calcular o custo por aluno pode ajudar a otimizar os recursos financeiros.

  • Índice de satisfação dos beneficiários: Esta métrica avalia a satisfação dos beneficiários finais com os serviços ou programas oferecidos pela sua ONG. Realizar pesquisas de satisfação regularmente pode ajudar a identificar áreas de melhoria e aprimoramento dos serviços.

  • Taxa de conversão de doadores: Esta métrica avalia a eficácia das estratégias de recrutamento de doadores financeiros para a sua ONG. Uma alta taxa de conversão indica uma forte conexão emocional e comprometimento com a causa da organização.

Indicadores

  • Impacto social: este indicador avalia o efeito das atividades da sua ONG na comunidade ou na sociedade em geral. Isso pode incluir indicadores como redução da taxa de desemprego, aumento do acesso à educação ou melhoria da saúde pública.

  • Eficiência operacional: Este indicador avalia a eficiência dos processos internos da sua ONG, como gestão financeira, administração de recursos humanos e operações diárias. Monitorar indicadores como despesas administrativas em relação ao orçamento total pode ajudar a identificar áreas de desperdício ou ineficiência.

  • Número de beneficiários atendidos: este indicador quantifica o alcance direto dos programas e serviços da sua ONG. Por exemplo, se sua organização fornece alimentos para famílias carentes, o número de pessoas alimentadas é uma métrica importante para acompanhar.

Essas são apenas algumas das muitas métricas e indicadores que sua ONG pode monitorar para avaliar seu desempenho e impacto. Ao escolher as métricas mais relevantes para sua organização e acompanhá-las regularmente, você pode tomar decisões informadas e orientadas por dados para melhorar continuamente suas operações e alcançar seus objetivos.

Como analisar métricas e indicadores  

  • Estabeleça metas claras: Antes de iniciar a análise dos dados, é fundamental ter metas claras definidas para a sua ONG. Essas metas devem ser específicas, mensuráveis, alcançáveis, relevantes e temporais (conhecidas como critérios SMART). Por exemplo, uma meta pode ser aumentar o número de beneficiários atendidos em 20% até o final do ano. Ter metas claras ajudará a direcionar a análise para os aspectos que realmente importam para a organização.

Para entender melhor sobre como elaborar metas e o que fazer para alcançá-las, leia este artigo.

  • Identifique tendências e padrões: Durante a análise dos dados, procure por tendências e padrões que possam fornecer insights sobre o desempenho da sua organização ao longo do tempo. Isso pode incluir identificar picos sazonais na participação de voluntários, padrões de crescimento ou declínio no número de doações ao longo dos meses, entre outros. Identificar essas tendências permitirá ajustar as estratégias conforme necessário para otimizar os resultados.

  • Compare com períodos anteriores: Comparar os dados atuais com períodos anteriores é uma maneira eficaz de avaliar o progresso da organização ao longo do tempo. Ao fazer essa comparação, é possível identificar se houve melhorias ou declínios em determinadas métricas e entender quais estratégias foram mais bem-sucedidas. Por exemplo, se o número de voluntários aumentou significativamente em comparação com o ano anterior, isso pode indicar que as campanhas de recrutamento foram eficazes.

  • Use visualizações de dados: Utilize gráficos, tabelas e outros recursos visuais para representar os dados de forma clara e compreensível. Isso facilitará a identificação de padrões e tendências, tornando a análise mais acessível para toda a equipe. Gráficos de barras, linhas e pizza são exemplos de visualizações de dados que podem ser úteis para apresentar informações de forma visualmente atraente e fácil de entender.

  • Conduza análises de causa e efeito: Ao identificar correlações entre diferentes variáveis nos dados, é importante entender as relações de causa e efeito por trás delas. Por exemplo, se uma campanha de arrecadação de fundos resultou em um aumento nas doações, é importante analisar os fatores que contribuíram para esse resultado. Isso pode incluir avaliar o impacto da mensagem da campanha, os canais de comunicação utilizados, o público-alvo alcançado, entre outros.

  • Faça perguntas críticas: Durante o processo de análise, faça perguntas críticas sobre os dados e os resultados obtidos. Questione se os números estão refletindo de fato o impacto desejado e se as estratégias adotadas estão realmente contribuindo para o alcance das metas da organização. Por exemplo, se o número de beneficiários atendidos diminuiu em determinado período, é importante investigar as razões por trás desse declínio e identificar possíveis soluções.

  • Avalie a relevância: Nem todas as métricas e indicadores são igualmente relevantes para a sua organização. Ao analisar os dados, concentre-se naqueles que estão mais alinhados com os objetivos e missão da sua ONG, descartando aqueles que não agregam valor significativo. Por exemplo, se a sua organização tem como objetivo principal proporcionar educação para crianças carentes, métricas relacionadas à taxa de alfabetização e ao desempenho escolar dos alunos podem ser mais relevantes do que métricas relacionadas a outras áreas de atuação.

Ao seguir essas estratégias e abordagens práticas, você estará preparado para realizar uma análise eficaz das métricas e indicadores da sua ONG, transformando dados em insights que impulsionarão o sucesso e o impacto positivo da organização.

Tabela para monitoramento de métricas e indicadores para ONGs

Abaixo sugerimos um formato de tabela que sua ONG pode usar para monitorar métricas e indicadores. Ela pode ser personalizada de acordo com as necessidades específicas da organização, adicionando ou removendo métricas e indicadores conforme apropriado:

Métrica / Indicador Definição Método de Medição Frequência de Atualização
Número de beneficiários atendidos Quantidade de indivíduos ou famílias que receberam os serviços da ONG Contagem direta ou registros de atendimento Mensalmente
Taxa de retenção de doadores Porcentagem de doadores que continuam a apoiar a ONG ao longo do tempo Análise de banco de dados ou questionários de satisfação Trimestralmente
Custo por beneficiário Custo médio de fornecer serviços a cada beneficiário da ONG Cálculo do custo total dos serviços dividido pelo número de beneficiários Anualmente
Índice de satisfação dos beneficiários Nível de satisfação dos beneficiários com os serviços da ONG Pesquisas de satisfação ou feedbacks Semestralmente
Impacto social Efeito das atividades da ONG na comunidade ou sociedade Indicadores específicos de impacto social, como taxa de emprego, taxa de alfabetização, etc. Anualmente
Eficiência operacional Eficiência dos processos internos da ONG Indicadores como despesas administrativas em relação ao orçamento total Trimestralmente
Taxa de conversão de voluntários em doadores Porcentagem de voluntários que se tornam doadores financeiros Análise de dados de voluntários e doadores Mensalmente

Como o cadastro dos atendidos está relacionado com o monitoramento de métricas e indicadores para ONGs

Ao manter registros organizados e atualizados, as organizações podem monitorar de perto o progresso de cada atendido ao longo do tempo. Isso inclui acompanhar a participação em programas, o alcance de metas individuais, a melhoria das condições de vida e o desenvolvimento de habilidades. Com uma compreensão clara do impacto de suas iniciativas, as ONGs podem identificar áreas de sucesso e também oportunidades de melhoria.

Além disso, a organização dos dados dos atendidos permite que as ONGs identifiquem tendências e padrões relevantes em suas operações. Ao analisar dados de forma sistemática, as organizações podem identificar fatores que contribuem para o sucesso ou desafios enfrentados pelos atendidos. 

Isso, por sua vez, permite que as ONGs tomem decisões informadas para ajustar suas estratégias e abordagens, visando aprimorar seus serviços e maximizar seu impacto social.

Como a plataforma da Bússola Social ajuda na gestão de ONGs

A plataforma Bússola Social simplifica o acompanhamento de atividades e a gestão de dados de ONGs através de várias funcionalidades:

  • Relatórios de Oficinas e Eventos: Criação de relatórios abrangentes que registram a frequência e todas as atividades realizadas em grupos, aulas, workshops e eventos.

  • Acompanhamento da Participação Individual: Permite o acompanhamento da participação individual de cada atendido nas atividades, oferecendo uma visão detalhada para a equipe.

  • Monitoramento de Atendimentos: Acompanha os atendimentos realizados, proporcionando uma análise detalhada com base no tipo de atendimento ou no profissional responsável.

  • Histórico dos Atendidos: Acesso completo ao histórico de atendimentos recebidos, ações e anotações referentes aos atendidos pela instituição.

  • Perfil dos Atendidos: Disponibiliza informações detalhadas sobre o perfil dos atendidos, como faixa etária, gênero, etnia, escolaridade, renda familiar, entre outros.

  • Mapa dos Atendidos: Visualização do impacto da organização nos bairros e territórios da cidade por meio de mapas interativos.

  • Outros Relatórios: Geração de relatórios adicionais, como encaminhamentos, visitas domiciliares e benefícios concedidos, para uma gestão mais completa e informada.

Ficou interessado? Entre em contato com a gente e fale com nossos especialistas.